Templo Espírita

"CASA DE OXALÁ"

- Seja Bem-Vindo Sempre -

Orientador Espiritual: Neiwriw de Oxalá

 

ÁRVORES SAGRADAS

Qualquer idéia ou crítica a este site, favor entrar em contato por e-mail

 

Desenvolvido por:

Murilo Masson

ÁRVORES SAGRADAS NA UMBANDA

A simbologia de uma árvore da vida (ou árvore cósmica, ou árvore do mundo) sempre foi essencial: ela representaria o Cosmo vivo em constante, eterna, transformação.

Com os simbolismos:

1.) da verticalidade (ascenção ao alto);

2.) da evolução cósmica (nascimento, desenvolvimento, maturação, "morte", regeneração: pense na semente, nas raízes, nas folhas, nos frutos e seu constante reciclar-se);

3.) da comunicação entre os três níveis: o subterrâneo, a superfície da terra e as alturas;

4.) da relação com todos os elementos: água (na seiva), terra (nas raízes), ar (nas folhas) e o fogo (possível através do atrito com seus galhos). A árvore também seria como que um caminho ascendente e descendente por onde flui a comunicação entre o Divino e a Humanidade (tanto quanto a escada de Jacó, vide a Bíblia ou o Torah), ou o pilar central que sustenta o templo (o poste xamânico, p.e.), ou o prumo fundamental (a coluna vertebral que sustenta o corpo, p.e.).

Representada por espécies frondosas e majestosas (ficus, acácia, oliveira etc.), ofereceriam um locus forte e digno para deuses e espíritos transitarem entre "céu e terra".

Pode-se, também, refletir sobre sua simbologia da fertilidade, de abundância, o que nos conduziria à árvore ancestral, origem e possibilidade de continuação de um povo (não estaria aqui a essência dessa reflexão em relação à nossa Umbanda?), de uma família (lembre-se, aqui, das árvores genealógicas).

Podemos refletir, ainda, sobre seu simbolismo do conhecimento (ver, por exemplo, a Árvore da Vida da Cabala, símbolo do saber "mágico"). Se na Umbanda a Natureza é elemento fundamental, mais um motivo para incluirmos essas reflexões simbólicas gerais.

   
    a Jurema    a Gameleira