IEMANJÁ

DIA DA SEMANA

sábado

 

CORES
cristal, azul claro

 

SÍMBOLOS
leque (abebé) com sereia, concha

 

ELEMENTO
água

 

PLANTAS
colônia, aguapé, lágrima de Nossa Senhora, pístia (erva de Santa Luzia), trapoeraba branca (olhos de Santa Luzia)

 

ANIMAIS
peixes

 

METAL
prata

 

COMIDA
peixe, camarão, canjica, arroz, manjar; mamão

 

BEBIDA
champanhe

 

SINCRETISMO
Nossa Senhora das Candeias (da Luz ) (2.2)

 

DOMÍNIO
mar

 

O QUE FAZ

protege de confusões e promove a harmonia na família. Ajuda a progredir na vida.

 

QUEM É

a Grande Mãe dÁgua e do lar.

 

CARACTERÍSTICAS
maternal, protetora, competente, dedicada, mandona, possessiva, intrigante

 

QUIZÍLIA
poeira, sapo

 

SAUDAÇÃO
Adoce Abá! / Odó Iyá!

 

ONDE RECEBE OFERENDAS

na praia

 

RISCOS DE SAÚDE

problemas no ventre: aparelho urinário, genitais; deficiência circulatória.

 

PRESENTES PREDILETOS

flores, perfume, colar, espelho, pente etc; suas comidas e bebidas.

       

LENDAS:

 

(1) Quando Obatalá e Odudua se casaram, tiveram dois filhos: Iemanjá (o mar) e Aganju ( a terra ). Os irmãos se casaram e tiveram um filho, Orungã (o ar). Quando cresceu, Orungã se apaixonou pela mãe. Um dia, aproveitando a ausência do pai, tentou violentá-la. Iemanjá conseguiu escapar e fugiu pelos campos. Quando Orungã já a alcançava, ela caiu ao chão e morreu. Então seu corpo começou a crescer até que seus seios se romperam e deles saíram dois grandes rios, que formaram os mares; e do ventre saíram os Orixás que governam as 16 direcões do mundo: Exu, Ogum, Xangô, Iansã, Ossain, Oxossi, Obá, Oxum, Dadá, Olocum, Oloxá, Okô, Okê, Ajê Xalugá, Orum e Oxu.

 

(2) Iemanjá teve muitos problemas com os filhos. Ossain, o mago, saiu de casa muito jovem e foi viver na mata virgem estudando as plantas. Contra os conselhos da mãe, Oxossi bebeu uma poção dada por Ossain e, enfeitiçado, foi viver com ele no mato. Passado o efeito da poção, ele voltou para casa mas Iemanjá, irritada, expulsou-o. Então Ogum a censurou por tratar mal o irmão. Desesperada por estar em conflito com os três filhos, Iemanjá chorou tanto que se derreteu e formou um rio que correu para o mar.

   
 
   

(3) Iemanjá foi casada com Okere. Como o marido a maltratava, ela resolveu fugir para a casa do pai Olokum. Okere mandou um exército atrás dela mas, quando estava sendo alcançada, Iemanjá se transformou num rio para correr mais depressa. Mais adiante, Okere a alcançou e pediu que voltasse; como Iemanjá não atendeu, ele se transformou numa montanha, barrando sua passagem. Então Iemanjá pediu ajuda a Xangô; o Orixá do fogo juntou muitas nuvens e, com um raio, provocou uma grande chuva, que encheu o rio; com outro raio, partiu a montanha em duas e Iemanjá pôde correr para o mar. 

 

(4)  Quando Obatalá e Odudua se casaram, tiveram dois filhos: Iemanjá ( o mar ) e Aganju ( a terra ). Os irmãos se casaram e tiveram um filho, Orungã ( o ar ). Quando cresceu, Orungã se apaixonou pela mãe. Um dia, aproveitando a ausência do pai, tentou violentá-la. Iemanjá conseguiu escapar e fugiu pelos campos. Quando Orungã já a alcançava, ela caiu ao chão e morreu. Então seu corpo começou a crescer até que seus seios se romperam e deles saíram dois grandes rios, que formaram os mares; e do ventre saíram os Orixás que governam as 16 direções do mundo: Exu, Ogum, Xangô, Iansã, Ossâim, Oxóssi, Obá, Oxum, Dadá, Olocum, Oloxá, Okô, Okê, Ajê Xalugá, Orum e Oxu.

(5)  Iemanjá teve muitos problemas com os filhos. Ossâim, o mago, saiu de casa muito jovem e foi viver na mata virgem estudando as plantas. Contra os conselhos da mãe, Oxóssi bebeu uma poção dada por Ossâim e, enfeitiçado, foi viver com ele no mato. Passado o efeito da poção, ele voltou para casa mas Iemanjá, irritada, expulsou-o. Então Ogum a censurou por tratar mal o irmão. Desesperada por estar em conflito com os três filhos, Iemanjá chorou tanto que se derreteu e formou um rio que correu para o mar.

 

(6)  Iemanjá foi casada com Okere. Como o marido a maltratava, ela resolveu fugir para a casa do pai Olokum. Okere mandou um exército atrás dela mas, quando estava sendo alcançada, Iemanjá se transformou num rio para correr mais depressa. Mais adiante, Okere a alcançou e pediu que voltasse; como Iemanjá não atendeu, ele se transformou numa montanha, barrando sua passagem. Então Iemanjá pediu ajuda a Xangô; o Orixá do fogo juntou muitas nuvens e, com um raio, provocou uma grande chuva, que encheu o rio; com outro raio, partiu a montanha em duas e Iemanjá pôde correr para o mar.

 
Link muito interessate, referenciando o livro "Orixás - Pierre Fatumbi Verger - Editora Corrupio")
http://orixas.sites.uol.com.br/yemanja.html