Templo Espírita

"CASA DE OXALÁ"

- Seja Bem-Vindo Sempre -

Orientador Espiritual: Neiwriw de Oxalá

 

NANÃ

Data festiva: 26 de Julho

É uma divindade africana tida como mãe de Obaluaiê, a mais antiga das Cindas das águas, sobressaindo-se nos lagos e pântanos. É sincretizada em Santa Ana. Dizem ser a enfermeira que prepara a passagem para a vida espiritual, por essa razão, seu habitat são os cemitérios. Suas oferendas são: berinjela, inhame, batata baroa e repolho roxo. Gosta de água mineral sem gás e suco de uvas rosadas. Suas cores são: preto e roxo, e suas flores são de cor vermelha escuro ou lilás. Seu dia é segunda-feira. Seu metal é o níquel. Sua essência é limão. Sua pedra é ametista. O termo Nanã significa "mãe".

Na Umbanda, ela não costuma ser considerada chefe de falange, sendo sua figura arquiétipa muitas vezes associada à Omulu e outras vezes aos domínios de Iemanjá. Nanã é descrita como uma velha senhora que teria enjeitado seus filhos Omulu e Oxumaré, mas estes filhos foram adotados pela amorosa Iemanjá.

O sincretismo de Nanã com Sant'Ana, avó maternal de Jesus, e padroeira dos professores, reforça a impressão de que ela é muito antiga e que sua chegada ao Brasil foi anterior à dos iorubas.

Este orixá vem de épocas tão distantes, que nenhuma pesquisa foi capaz de identificar suas origens. Seu culto se espalhou, através dos tempos, de Leste a Oeste. Nanã é um termo que expressa deferência por qualquer pessoa idosa e significa "Mãe" em diversos dialetos africanos.

Na Umbanda, Nanã vem incorporada de forma calma, curvada e com movimentos circulares nas mãos, muito associada também aos Pretos-Velhos.

Os domínios de Nanã ficam nos pantanos e áreas com águas calmas e paradas.