Templo Espírita

"CASA DE OXALÁ"

- Seja Bem-Vindo Sempre -

Orientador Espiritual: Neiwriw de Oxalá

 

YANSÃ

Data festiva: 04 de dezembro

É o orixá dos ventos e tempestades, esposa de Xangô, protetora das virgens.Senhora do cobre, do benjoim e do quartzo rosa, das quartas-feiras.Sua moradia é no tempo e no bambuzal. Suas cores são: coral e branco. Suas comidas são: feijão fradinho e farinha de arroz, no dendê e acarajé. Sua libação são: sucos de cereja, framboesa e tamarindo. Não existem qualidades. É sincretizada em Santa Bárbara. Iansã/Oiá é um Orixá forte, determinada e impulsiva. Iansã tem a personalidade guerreira. Ela sempre luta por uma causa nobre e por justiça. Iansã, Senhora dos Ventos, Senhora das tempestades é rápida como eles e não fogem as demandas, sendo sempre muito destemida. É representada na Umbanda como Santa Bárbara, que na história abaixo mostra a determinação pela sua causa nobre.

A história de Santa Bárbara começa quando esta se recusa a casar-se com o homem escolhido por seu pai, Dióscoro. Ser esposa de Deus era sua escolha. Tamanha insubmissão ao poder patriarcal, por volta do ano 225, na antiga região da Nicomédia, também conhecida como Ásia menor, era considerada uma ofensa sem par. O pai encerra a filha numa torre e se ausenta. Ela então abre com os próprios dedos uma terceira janela numa das colunas de mámore de uma sala de banhos recém-construída. As águas da piscina tornan-se milagrosas, curando enfermidades. Não satisfeita, destrói os ídolos que seu pai adora. Seu nome torna-se conhecido por todos, multidões a seguem.

Dióscoro retorna e exige de Bárbara uma explicação. Ela o informa que as três janelas simbolizam a Santíssima Trindade e a morte de Cristo, de quem recebera os dons milagrosos. Não convencido o pai procura uma espada para matá-la e ela foge. Mais tarde, é entregue às autoridades religiosas locais a que a obrigam a abjurar sua nova crença. Ela nega e eles a torturam. Seu corpo é quase dilacerado, mas no outro dia seu corpo se apresenta novamente ileso perante o juiz Marciano, declarando que Jesus a tinha curado.

Rasgam-lhe a carne com instrumentos de ferro, queimam-na com tochas, golpeiam sua cabeça e por fim a obrigam a desfilar nua pela cidade. Quase sem forças, Barbara implora ao Senhor que lhe poupe desta vergonha... E um anjo desde dos céus e a cobre com uma capa de luz. Mesmo assim, ela é condenada a morrer decapitada e o seu pai se oferece como degolador. No mesmo momento em que seu pai ergue a espada , Barbara pede a Deus que aquele que invocasse na morte seu nome fosse salvo. Após executar a sentença, Dióscoro é fulminado por um raio na montanha enquanto descia juntamente com o juiz que a sentenciara. Iansã é a rainha dos ventos e tempestades, na Umbanda também é reverenciada por Santa Bárbara ou como os umbadistas chamam A Virgem da Coroa. Iansã é a santa de expressão séria e de porte de guerreira, batalhadora e lutadora. Iansã na umbanda incorpora com expressão altiva e com o braço direito estendido para cima e com a mão direita a balançar, como se estivesse chamando os raios.Iansã pode aparecer na corrente tanto na sua própria linha como na linha de Iemanjá - adentrando assim na linha das águas. A imagem de Iansã no terreiro é a imagem de Santa Bárbara, ou seja, uma moça de cabelos claros com uma túnica vermelha por cima de um vestido amarelo, pode estar segurando um ramo ou uma espada.